quinta-feira, 19 de julho de 2012

ASAS SIDERAIS




ASAS SIDERAIS

Não corte minhas asas
Voar é a minha razão
Meu mundo é o espaço sideral
Em cada estrela e constelação

O chão é profundo abismo
Triste aforismo de perpétua prisão
Quero prisma ao invés da caverna de Platão
Iludir-me com ouro de tolo já não traz satisfação

O sonho mais alto é a meta que traço
Laço sem qualquer consternação
Liberdade é a vida em palimpsesto
O carpe diem passado a limpo

Onde o traço do verso se aprimora
É lá que mora o meu coração

ATEU POETA
1:00
20/07/2012

Nenhum comentário: