Temer na cadeia Aécio na cadeia

Temer na cadeia Aécio na cadeia
Copiem e colem em seus perfis

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

BUBBLE BATH

Venha kokô, ai
Bebamos côko do quinado pan de kaganis cacos
Um bubble bath em Nan Peidai
No baranco de tua shiri me perco em ais
Karuta curinga maculada de kagome
Jogo a kapa lírica na sentaki da imensa solidão
Desilusão; burako e city num mesmo country
Não sei se te espero ou desespero
Arigatô!
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará22/05/2007

ICE KISS

Sentir lalíngua sua sobre a idiossincrasia nua de Indiana Jones
Voar imerso no labirinto cósmico de seu sorriso irradiante
Poesia pura na aquarela crua da realidade
O Céu é ser seu, Felicidade
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 22/05/2007

SABRE


Leio o mundo sambista de Zé Keti
na vibrante voz de Negra Lee
Tomas Farkas revidente
Safíricas íris de Fernanda no revés dum maxixe
Andante nontropo con grazia em pianíssimo
Allegro saxofônico
Agoreios na simulação pitangueira do frevo
Allos menstréis nas reminiscências de caimmy
Alegorias do imortal Bezerra
Son et lumière
Boêmio bandolim traduz o sentido da serenata indizível
Arlequim toca lira com floreios digitais
Dó maior eletrônico
Raio de arraia no cais
Tênues tentáculos de estrela-sol
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 21/05/2007

LÁBIOS DE GOTÍCULAS


Noite nublada em serenatas de partículas
Manto negro enluarado pelo beijo gelado da chuva tempestuosa
Nebulosa mnemônica de segredos belos
Ventania fabulosa de cabelos
Orvalhos falho de moléculas labirínticas
Xamã saudosista chama abraços esquecidos
Chama víride envidraça-me a face das pupilas
A idiossincrasia de um toque labial desarmoniza a espiral do pensmento expressionista
Estou alado de gotículas sob o geográfico
Céu das incógnitas filamentais
Náufrago tonto no oceano dos dilemas fundamentais
Aceito no clã dos serafins elementais
Moro na matrix que Sarrus desinventou
Colho as estrelas bilaquianas de Olavo
Lavo o sonho de alicinos coelhos com teias maravilhosas de elétrons
Magneto Anjo Aqüifero trajando armadura fabricada com notas agudas de Chopin
A luz impressionista de vangog me consome e depois se faz sabre
As trevas de Poe modelam-se escudo despoético
Dos chapéus de Rubens construo elmo
Não adianta ser um druida d’arte quando a verdade é servida a la cart
Possuo todas as fraquezas cabíveis ao homem comum
Nunca passei de um mero natural de Homero
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 03/06/2007

ECO NOTURNO


Olho para o escuroTentando enxergar o invisível que nele se escondeE só me surgem os versos MeirellianosOnde?
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 11/10/2007

PIRACEMA


Arte, alopatia sem destino
Retriz, desatino semântico a romper-me lalíngua
Minha mente dói
Mente para acalanto inútil
Acorde soporífero
Idiossincrasia
Sons sapateiam esbelto mar
Piracema
Pindorama
Cassorotiba
Içá Cassico
Alçar vôo sem titubear
AROLDO FILHOPacoti-Ceará, 03/10/2007

LA VIRTUDE CROMUS


Nada sem símbolos saberei
A análise cognata gera esperança em melodrama juvenil
Ignorância profunda no advento da razão mais pura
Além do sentir imanente a leis verossímeis
Simbiose aparametral de silício
Reflexos perante complexos anexos à ideologias seculares
Parametafísica dialética sociopolítica
Numismática ideológica do desejo
Quanto pesa o pensamento perenemente incontinente?
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 2008

ARMORY DÉSIR


Anátema fideista ahl alkahaf te saluto
Filantropia Souk ya saidat alrara’irLubus nubiloso
Kana Kama maxa dove cambierá
Celeuma adequatio locutine seeds vicini piu
Célere quedar
Jasair number x’ir lo sa scrivimi
Pianíssimo tak raffiné dans les cases
Makhzen michui xahiar veuillez tarjeta
Microlepdóptero délfico prioritaire informatisé
Ecco inn aben!
Faraj bacda asda come stay
Indigang reggae alintac na almu’anasa
Aquavit dieaux elephant beer o meno
Brasiliansk sukkerosrom med saft ogsmastykkeraf limefrugt
karuta bubble bath kaganil’espirit mandelina respectro patrono passerálumus quelelê übe die produkte vivrailukket brondum bitte f6ullen vedraiglaçon babouches mit hurra tathatar shiribacante caapor kura marid to spread axéfugere urbem locus amoenus femme nueim medio est virtus inutilia truncatcarpe diem aurea mediocritas
Zagreus catu la palmaire dinasad domanititikkaena
Baal benemérito sufrágio sapera
Murucututú Mundurucú cudúru
Infimo give a hoot subverted yo sa po capire
Out puts wa-lkalb li-ashãb arrafimIxara nurudin bin Xansudin
Abu Camarusaman Kafir adil tête-à-tête
AROLDO FILHO

Pacoti-ceará, 25/11/2007

X’IR CONCERTANTE


IconoclastaIdiólatraIdiossincrasiaTryking indgang abenGuarda-valas lukket wa aknaf mufradFaire le pontLalinguismo autofáticoSolistas do autoritarismo instrumental macaqueadoFantasia para planoLepidóptero micronOcarina feedbackVitri vitrice vitimilogia vituperiosaBovarismo geo in petto impetuosId est imprimatur manu militariChi lo sa imbroglione impalmare grana no intermezzo?Quiça?Leader’sinnPlêiade plenariana ignealquimistaOurives délficoparlamentarKnow-how alífero ravissantEcco! Clã farabutto
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 14/05/2007


DOU ELO


Aface da morte reflete no âmago a pura essência bruta da vida maguiada de sofismas cristalizados
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 04/05/2007

PREGO TORTO

Poesia: marteladas brutais no âmago, pregando quem somos em nós mesmospara não permitir que fujamos à essência natura
AROLDO FILHO

Fortaleza-Ceará, 27/04/2007

MESTRE DE OBRAS

O engenho duma frase não faz o mundo, mas ergue o caráter de seus arquitetos
AROLDO FILHO

Fortaleza-Ceará, 27/04/2007

COMPLEMENTO

O fracasso do fraco é o sucesso do forte
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 15/04/2007

O sistema é o foco da circunstância
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 15/04/2007O

medroso fomenta a batalha armado com migalhas da destruição maciça. Seus artefatos fomentam a arrogância da mutilação holística por ignorar o dínamo potencial do pensamento
AROLDO FILHOPacoti-Ceará, 15/04/2007

ASAS DA REVIRAVOLTA

VoltaRevolta turva
Reviravolta vira voto vivoVeta a curva
Revira ribalta
Vinga viravolta
Vê além da massa de modelar
Viva a repolítica do ver!
Cego chego
Paralítico ego
Surdo reforma a forma
Mudo aconchego
Sossego a repensar mente
República pública
Id tiro
Retiro partição
Repartição modelo
Partir por ti
Partos da revolução sem pastores
Reparto rotas
Pastores partidos repartidos
Ré, voltas?
Partidas rotas
Start!
Reticências quilombólicas d’art
Essência de passos e repassos sonâmbulos
Perto do paço modelo plumas faiscantes
Desperto o ser inteligível para alçar o abismo do indecifrável
Reta virtual da virtude do compasso angelo surreal
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 27/04/2007

O pensamento bem direcionado é precursor do caminho aproveitado
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 15/04/2007

O pavor nutre a pane dos nervos : coluna cervical do mundo
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 15/04/2007

Demonstras o que sinto não é irracional
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 15/04/2007

O ELO COM A VIDA
Afeto, movimento harmônico da paz

Vida, sentido da razão bruta em ação
As seguras garras da virtude abrigam a verdade à qualquer latitude
A farsa fabrica ferimentos fortes
Num duelo ferrenho com a morte nascemos
Aceitar a derrota certa não nos impede de procrastiná-la vitoriosamente
AROLDO FILHO

Pacoti-ceará, 15/04/2007

MAIÊUTICA

O vício do oprimido pare a virtude do opressorAROLDO FILHOPacoti-Ceará, 15/04/2007
A vitória da guerra se dá pela mente
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 15/04/2007

Forte é aquele que apascenta
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 15/04/2007

O caos é a tempestade da ignorância
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 15/04/2007

Os oprimidos não são fracos, apenas estão indefesos
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 15/04/2007

A revolta é tão humana quanto nós, meros seres que sonham com a divindade inalcançável
AROLDO FILHOPacoti-Ceará, 15/04/2007


Vagabundo
Essa palavra me irrita, mas desconheço sua mácula natura
O trabalho é fruto da política e não algo que cura
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 15/04/2007

O dever batuca meu peito
Não sei com qual direito
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 15/04/2007

Qual a diferença entre nobreza e mendicânçia?
Um dueto cancerígeno da mesma instância
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 15/04/2007

TEIA

Há uma linha tênue entre ser presa e predador
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 17/05/2008

CRISE COPÉRNICA


AXIS MUNDI

Tudo que vejo é pouco, um quase-nada que me molda nesta jaula funesta e febril da razão
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 28//02/2007

SIGURD

A vida é mera mentira inacabada
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 28//02/2007

NEFERTÁRI

Chega de pensamento, é hora da ação
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 28//02/2007

TUTACÁMON

A dependência cega
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 28//02/2007

MINERVA

A consciência sofre distúrbios neurais
Nada é nem basta para conter uma verdade acabada
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 28//02/2007

DURGA
Fé, incongruente sustentáculo
AROLDO FILHO


Pacoti-Ceará, 28//02/2007

DALÊJA

Jamais serei quem sou, embora a essência não mude
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 28//02/2007

SUÁSTICA

A ditadura é inerente a todos os regimes, ela apenas se camufla, todavia, nunca morre
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 03/03/2008

SÚLIS

O tempo é um fator virtual norteador no orizonte ortogonal do entretempo atemporal cosmopolita
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 28//02/2007

ZOROASTRO

Se o Latim é a língua de Deus, Ele fala latindo, logo; é cão voraz: Pitbul raivoso a morder a humanidade tão atônita e exótica que defralda a si mesma sem refletirou talvez por crueldade pura e abrupta; bestial
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 28//02/2007

XABÁ

Homem, besta: fera em evolução
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 28//02/2007

PERCEPÇÃO

Os sentidos humanos estão muito aquém do necessário para sentir a realidade tal qual é
A imaginação tenta transcender a misturar as informações armasenadas pela memória
Mas é inútil, captar a verdade original nunca nos foi possível, nem sei se será
Uma vez que a degradação física afeta profundamente a percepção
E ela surge em esmagadora velocidade
AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará, 22/03/2008

Nenhum comentário: