terça-feira, 11 de março de 2008

TRIS MARKER

Quero me encantar mas nem sei quem sou
Creio que a própria racionalidade consagra o ideal fantasioso
No devém impastorial desdenhoso desdesejo dèsir
Nada faz sentido
Tudo chi lo say est
Cosmologicamente falando o mistério desconstrói a me
As sinapses que penso, despenso, penserai
Holístico parcial, imparcial, tríplice tris lumière
Complexo da complexidade desestrutura meu senso
Dúvidas d'uno quilate polivalente abocanham
Todos os sonhos dos quais guardo patente
Certezas afiam a verdade, dela cego sigo
Uma tristeza estranha abate a paz que sinto
Às vezes a aventura é curar esse tédio
Desventura de quem vive, a morte futura e incurável
Vida é mero acaso in natura
Hedonê, meio termo d'assinatura

AROLDO FILHO

Nenhum comentário: