sábado, 8 de março de 2008

BEIJO EFÊMERO DE PSIQUÊ

Teu beijo é desigual iguaria, criatura serena
Os deuses te clamam a inestimável existência de prová-lo
Sem ti não sou, sentido me some
Contigo perduro o deleite puro da vida, amor-perfeito em miríades
Querida, conceito do afluente desejo efluente
Candura, oásis orvalhada de sonhos
Ternura, imanência da beleza divina
A verdade te pede licença para contemplar o brilho que emanas
Certeza, és imagem que seduz com louvor e maestria
Anjo, transcendência de mulher em serenata de perfume
Encanto, um ateu te adora
Musa, sou Deus em teus braços
Teus abraços me controem, literatura
Há primavera em ti, estimável criatura

AROLDO FILHO
Pacoti-Ceará, 08/03/2008

Nenhum comentário: