quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

ÍRIS

Haverá o pecado perfeito
Neste mundo errante
Bipassionalismo ou variante
Arrasante
Arrasadores rastros em alto-relevo
Que relevem o Realismo
Revelando racionalismo
No rasante pouso do luar?
Quem dera, no momento
Em teus mares oculares mergulhar
Sentindo a maresia incessante
Das safiras caras!
Denominas írisPor que não diamantes?
Tratará o tempo, talvez
De nos incorporar
Ao construtivismo do arrebol?
És aliteração do Sol
O anil de meu sonhar
A fantasia de minh’alma
A canção do meu pensar

Aroldo Filho
Fortaleza
20/08/05

Nenhum comentário: