sábado, 12 de janeiro de 2008

ÉCTOR

P1: A ÁRVOR

Heráctor, descansando sob uma árvore, lembra que nunca subira nela quando criança, e em nenhuma outra, resolve ir até o cúmulo, mas cai desmaiado, um amigo seu Cícero, o qual pensou que estivesse morto, corre ao desmaiado em desespero, imagina-se num futuro em que faria uma estátua parecida com o outro, chamava-a Éctor.
Enquanto Heráctor pensava: _Os sonhos demoram uma vida toda, mas alguns nos matam.
Angeline, mulher de Heráctor, fora avisada pelo amigo de ambos, Cícero, do ocorrido, fazia-lhe respiração.

CAP2: ESCULTOR

Cícero, famoso pela perfeita estátua, realiza uma exposição de suas obras. No ateliê, enquanto dava entrevista para canais de televisão, a obra de artesanato é roubada.
_Roubaram minha estátua! _O artesão desesperava-se pelo desaparecimento de sua mais importante obra, tão famosa que a polícia federal investiga o caso e o presidente dá seus pêsames pessoais por telefone.
A estátua aparece, depois, com vida própria.
_Ei! Você é Éctor, não Pinóchio!
_Sim, mas não é fenomenal ter sua obra-prima viva?
_É, mas como eu explico isso aos meus fãns?
_Acorda, Cícero, você está tendo um pesadelo!
_Endoidou, Boneco..._Heráctor o sacodia, realmente ele estaria a dormir.
_Você sonhou com o quê, meu amigo?
_Com você morto após cair de uma árvore.
_Que estória é essa, tá doido? Eu nunca subi numa árvore!

CAP3: E SE FOSSE PROFESSIA?

Heráctor, descansando sob uma árvore, lembra que nunca subira nela quando criança, e em nenhuma outra, resolve ir até o cúmulo, mas cai desmaiado... O restante, vocês já sabem...
_Ei! Você é Éctor, não Pinóchio!
_Sim, mas não é fenomenal ter sua obra-prima viva?
_É, mas como eu explico isso aos meus fãns?
_Acorda, Cícero, você está tendo um pesadelo!
_Endoidou, Boneco..._Angeline o sacodia, realmente ele estaria a dormir.
_Você sonhou com o quê, meu amigo?
_Com Heráctor caindo de uma árvore.
_Você é Heráctor.
_Não, eu sou... Heráctor. _Reconhece frente ao espelho.
_Quem pensava ser?_
Cícero.
Nesse momento alguém bate à porta, era Cícero, que também dizia ser Heráctor.
_Não pode ser! _Diz Angeline em fúria.
_Estão querendo enlouquecer-me!
_ E sai.
_Agora, me diga, Heráctor, o que fizera hoje?
_Na verdade, nada, mas bateu-me uma vontade de subir numa árvore...
_Desista!_Fala Cícero_ Com o meu corpo não!

CAP4: UMA VISITA INESPERADA

Batem à porta.
_Mas você é igualzinho a meu marido! Como é seu nome?
_Éctor, senhora Angeline, fui feito por Cícero, por alguma razão criei vida, sou a memória de um amigo dele, Heráctor, que falecera quando subia numa árvore.Angeline o leva ao quarto, onde se encontravam os dois amigos.
_Éctor, _Diz Heráctor _ pensei que tudo não passasse de um sonho.
_Justamente por isso vim aqui, para acordá-lo.

AROLDO FILHO


Nenhum comentário: