terça-feira, 11 de dezembro de 2007

FLOR-MULHER, A PRÓPRIA POESIA



FLOR-MULHER, A PRÓPRIA POESIA

A mulher é Floranjo a voar na mente

Absorta do Poeta insone

Em si mesma é poesia

Base de todas as artes

Musa e utopia

Afago de ufanias

Dá-me asas, óh Bela Fantasia!

Faz-me crer no fim da nostalgia que me consome

Traz-me o fôlego que perdi no dia-a-dia

Enquanto a vida não me some

A mais um daqueles que se vão

Quero bailar contigo um

Fervoroso tango de ilusões

O verdadeiro é vão...


AROLDO FILHO

PACOTI-CEARÁ

Nenhum comentário: